sábado, 17 de dezembro de 2011

ECD comemora sua nova aquisição: Equipamento de CPTu

No início do último mês de dezembro, a ECD deu mais um grande salto de qualidade e adquire um equipamento completo de CPTu, incluindo um módulo de Resistividade, sendo, portanto, um R-CPTu.
O CPTu é também chamado de Piezocone Elétrico ou Cone Elétrico com poro-pressão. Esse é um ensaio já consolidado nos estudos e investigações Geotécnicas, e se baseia na cravação no solo de uma sonda que fornece os parâmetros resistência de ponta, atrito lateral e poro-pressão. Com esses parâmetros, obtidos online, durante a cravação da sonda, os Geotécnicos obtém dados importantes sobre o solo, com uma precisão muito maior que os ensaios tradicionais de SPT por exemplo.

 Sonda Preparada

 Detalhe da Ancoragem reforçada

 Microfone posicionado - sistema NOVA Acustic da Geosafe

 Iniciando ensaio


Nos estudos ambientais, essa será uma ferramenta excelente e muito precisa para o estudo do site e fundamental para a elaboração de um bom modelo conceitual. Com um ensaio de CPTu é possível ver, com precisão de centímetros, o perfil do solo em subsuperfície, possibilitando, inclusive, a determinação de finas lentes de material por onde o contaminante pode desenvolver um caminho preferencial. A combinação desses 3 parâmetros obtidos em um ensaio de CPTu permite estabelecer o perfil com elevado grau de certeza, e é uma ferramenta fundamental para se obter dados confiáveis em uma investigação, possibilitando uma economia importante na remediação, pois essa será adequadamente direcionada, seja qual for o sistema implantado.
Muitas vezes os estudos ambientais se deparam com uma dificuldade: como verificar o perfil litológico muito abaixo do nível d'água? O normal é efetuar-se sondagens via Direct Push com liner para verificar onde estão as camadas hidrogeológicas de interesse. Mas, quando o nível de água está raso (digamos, 2 metros) e a camada de interesse está mais profunda que 10-20 metros em solo com camadas de areia, certamente não será possível obter-se as amostras nos liners. O ensaio de CPTu é ideal para essa situação, pois irá determinar com precisão quais são as camadas hidrogeológicas em todo o perfil. Em alguns solos, ele poderá até estimar a carga potencial hidráulica em cada ponto do perfil.

Como uma espécie de “bônus”, o equipamento que a ECD acaba de adquirir permite a mensuração da condutividade elétrica do solo, com resolução de alguns centímetros. A variação nessa condutividade pode indicar lentes de material diferente no perfil do solo, ou eventual presença de alguma substância química de interesse em elevada concentração em determinado.

O equipamento é do tradicional fabricante norueguês Geosafe,em parceria com a empresa sueca Geotech, e é considerado o modelo mais moderno do mundo, com uma resolução altíssima e sem o uso de cabos, o que torna o trabalho muito mais rápido e eficiente.
Os treinamentos foram realizados no campo de provas da ECD em Sorocaba-SP e contou com a presença de Robert Handberg, Norueguês da Geosafe Brasil.
Inicialmente, a ECD irá oferecer esse serviço utilizando as suas sondas hidráulicas acopladas aos caminhões e ao Trator. O serviço é semelhante ao Direct Push, porém, ao invés de percussão, é a força hidráulica que irá empurrar a ponteira com os sensores até a profundidade necessária (normalmente, é perfeitamente possível atingir 30 metros ou mais). Além da equipe de sondagem, irá um Técnico que irá operar os aparelhos e passar os resultados à consultoria.
Em um dia normal de trabalho, sem grandes restrições de acesso, pode-se efetuar de 5 a 10 ensaios de 20 metros, o que irá economizar muito tempo e dinheiro na instalação de poços de monitoramento e, especialmente, na remediação.

Desta forma, a ECD mais uma vez dá a sua contribuição para um aumento da qualidade das investigações ambientais no Brasil, ao adquirir um equipamento de última geração, que possibilita a elaboração de modelos conceituais bem  precisos e permite a economia de recursos



 Equipamentos que possibilitam a visualização online dos resultados

 Sensor de Resistividade acoplado à sonda de CPTu

 Treinamento no software específico

 Fazendo a saturação do sensor

 Robert ensinando a efetuar a calibração e descontaminação do aparelho

Detalhe da interface, e efetuando a saturação do sensor de poro-pressão

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Colaborador da ECD Apresenta Trabalho no 13o CBGE

O colaborador da ECD e Engenheiro Ambiental Rafael Muraro Derrite, apresentou seu trabalho que contou com a co-autoria do Professor Doutor Manuel Enrique Gamero, da UNESP-Sorocaba, no 13o Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental.
Seu trabalho, um aprofundamento do seu Trabalho de Graduação apresentado na UNESP/Sorocaba em 2010 fala sobre a Atenuação Natural Monitorada, uma metodologia de remediação de áreas contaminadas por compostos derivados de petróleo.
Mais uma vez a ECD se diferencia das demais empresas de sondagem, mostrando estar preocupada com a atualização constante, com a pesquisa e com a inovação.

Seguem abaixo algumas fotos da apresentação do Engenheiro Rafael

 Painel Exposto

No centro, o Prof Dr Manuel Enrique Gamero e o Eng Rafael Muraro Derrite

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Ensaios Hidrogeológicos - Slug Test e Bail Test com Transdutor de Pressão

Dando continuidade com a idéia de modernização dos seus equipamentos e tecnologias, a ECD conta agora com um Transdutor de Pressão da Solinst, para auxiliar em seus serviços de Slug Test ou Bail Test, que são ensaios hidrogeológicos para a determinação da condutividade hidráulica de um aquífero.
As equipes da ECD, seus Engenheiros, Técnicos e Estagiários foram treinadas na utilização dessa ferramenta que proporciona um ensaio com mais confiabilidade e feito com muito mais rapidez, diminuindo muito o tempo da equipe em campo, tanto da ECD quanto da Consultoria Ambiental contratante.
Serão enviados os dados brutos e, caso necessário, uma interpretação inicial através do Software do fabricante.

Maiores informações sobre a possibilidade de uso do aparelho podem ser vistas no site do fabricante


A ECD sempre pesquisando novos equipamentos e serviços para melhorar a qualidade nos serviços de Investigação de Áreas Contaminadas.
Para maiores informações, basta entrar em contato.

Abaixo, algumas fotos




segunda-feira, 24 de outubro de 2011

ECD no II CIMAS

II CIMAS

A ECD SondagensAmbientais esteve presente no IICongresso Internacional do Meio Ambiente Subterrâneo (CIMAS), realizado entre os dias 04 e 06 de outubro de 2011.
Esse é um evento já consagrado no meio, apesar de estar apenas na sua 2ª Edição, e conta com a presença de importantes nomes internacionais e nacionais.
Marcos Tanaka Riyis, Diretor Técnico e Rafael Muraro Derrite, Engenheiro Ambiental da ECD estiveram nos 3 dias do Congresso e acompanharam as palestras, mesas-redondas, e exposições de trabalhos, na forma oral ou de posters, além de visitarem os estandes da FENÁGUA, evidenciando a importância que a ECD dá à atualização de seus colaboradores e a importância de estar sempre sintonizada com as novidades e tendências no mercado.
 Mesa Redonda no II CIMAS

 Mesa Redonda no II CIMAS
 
Mais uma vez foi possível perceber, em todos os trabalhos ligados ao tema Áreas Contaminadas que a Investigação é uma etapa fundamental no processo de gerenciamento de áreas contaminadas, mesmo quando o tema do trabalho era Remediação.
Para citar 2 exemplos, um trabalho apresentado falava sobre um modelo numérico que previa a utilização de uma Barreira Reativa Permeável em um site, onde, para fazer o modelo, foram feitas centenas de sondagens e instalados dezenas de poços de monitoramento. Isso SOMENTE PARA FAZER O MODELO!!!! Apesar do autor não ter citado, tenho certeza que nenhum deles foi feito com Trado Manual. Isso evidencia que um trabalho bom necessita de uma investigação ótima, inclusive para diminuir os custos.

Em outro trabalho que tratava de Remediação, os autores falavam sobre Remediação Sustentável. Fica fácil perceber que, para uma remediação com menor “Pegada Ecológica”, menos gasto de energia, etc, é importante que o site esteja muito bem investigado, para não haver desperdício de recursos de nenhum tipo.

Outro trabalho que chamou a nossa atenção e, provavelmente, de todos que assistiram, foi aquele que estimou que a massa dissolvida de Benzeno na Franja Capilar é da ordem de 50%-70%. Apenas metade da massa de Benzeno está dissolvida na água!!!! Isso porque o trabalho foi realizado em uma formação arenosa, homogênea e isotrópica. Imagine se levarmos em conta a espessura da Franja Capilar com predominância de argila!!!! A confirmação desse fator levará a uma mudança grande de paradigma para investigações de LNAPL: terá que ser dada uma grande importância para a franja capilar e as investigações terão de ser muito mais criteriosas.

Com um evento dessa importância, a ECD, através de seus diretores Marcos Tanaka Riyis e Mauro Tanaka Riyis, apresentou um painel onde expunha a visão da empresa sobre a aplicação da Norma 15495-1 no Brasil. Esse trabalho, que em breve estará disponível para download, fala dos principais pontos falhos na maior parte da instalação dos poços de monitoramento no Brasil. Em breve, o resumo seá postado aqui, e o trabalho completo ficará disponível para download.
Abaixo, as fotos do painel


Autores do Painel


Painel colocado na sua área

Área do painel do horário de exposição

Houve muitos pedidos de explicação e muitas trocas de ideias e informações durante o horário da apresentação.
Pode-se dizer que a elaborção e exposição desse trabalho foi extremamente proveitosa para a ECD.

Por fim, fazendo um balanço do II CIMAS, novamente foi um excelente evento, e obrigatório para quem trabalha na nossa área e se interessa pelas novidades acadêmicas e do mercado.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

ECD Aumentando Sua Frota de Veículos

Essa semana que passou foi particularmente feliz para a ECD. A empresa acaba de adquirir 2 novos veículos: Kia Bongo 2500 - ambos 0 Km.
Continuando o que postamos aqui e aqui, o crescimento da empresa nesse ano está realmente muito bom, o que permitiu essas novas aquisições, além de novos equipamentos e ferramentas que em breve serão anunciados nesse espaço também.
Em consonância com o crescimento do país, a ECD continua fazendo a sua parte para aumentar a qualidade nos trabalhos de investigação ambiental no Brasil, agora com veículos novos.



segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Qualidade na Investigação x Sucesso na Remediação - Parte 2

Dando sequência ao que dissemos sobre a qualidade da investigação influenciando diretamente no resultado ou no sucesso da remediação (incluindo seu custo), vejam uma nova resposta colocada no Fórum já citado:
Agora é um profissional com muita experiência de campo, operando equipamentos de sondagem e de "Direct Image", como MIP, HPT, LIF, etc. Palavras dele:

"I've only been in the groundwater industry for little over 5 years but have had the unique opportunity of working as a Geoprobe operator, direct-sensing operator (MIP, FFD, HPT, and EC), and GIS analyst on over 100 sites for dozens of consultants ranging in size from one-man shows to international firms. Time and again we mobe to sites that have some sort of remedial design implemented only to find that the previous work completely missed the mark - often costing the client millions - due to inadequate characterization.

I've been to many sites that rely on a few dozen monitor wells with 10-ft screen intervals to guide remedial design. Often times these wells cross both silt and sand units with the silt containing more contaminant mass which is diluted in the sample by the higher yielding sands. Push the MIP right next to the well to find higher concentrations in the silt and discover that your well is useless -- we come across this all the time! (Grifo meu)

Unfortunately, many competent consultants are pushed to remediation by a client who wants to see those concentrations drop. Meanwhile, a few more days of characterization at a fraction of the cost of remediation - especially when the remedial design is faulty - could produce much more satisfactory results."


Um profissional com essa experiência relatou algo que muitos de nós, intuitivamente, sabemos: poços de 3 m de filtro, com seção filtrante plena, não servem para monitorar fase dissolvida. Com esse instrumento, não é possível saber onde está a fonte e/ou por onde a contaminação caminha. O poço deve ser adequadamente construído e NO LUGAR CERTO. Como saber qual é esse lugar? AS ferramentas estão aí: da Geotecnia, temos: DPSH, CPT, CPTu, RCPT, SPT-T. Dos artigos da EPA temos MIP, HPT, EC, LIFs, entre outros. Do bom senso temos: poços multiníveis, amostrages rápidas via Direct Push, sondagerns exploratórias, e por aí vai...


Um segundo ponto ressaltado por ele é o seguinte: "...And I must second Robert's point about sending inexperienced staff into the field while their boss attempts to run the project from his/her desk. I can't tell you how many hold-ups we've had while the staffer spends countless hours on the phone to the boss trying to relay info and come up with the next move -- it can be absolutely agonizing!"


Essa é a prática corrente no Brasil, hoje: em geral, quem vai para o campo é um profissional com menos qualificação e menos experiência. Quando o profissional "sobe", ele deixa o campo e é "promovido" para o escritório. Segundo o autor, isso contibui muito para uma investigação de má qualidade, que, todos concordam, gera uma remediação com grande chance de dar errado e/ou custar mais.


Precisamos caminhar para uma maior qualidade nos estudos ambientais, pois o mercado está em crescimento, como pode ser visto nessa matéria muito interessante:




Marcos Tanaka Riyis
ECD Sondagens Ambientais Ltda
www.ecdambiental.com.br

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Sondagem Ambiental x Sondagem Mecanizada

Nós da ECD temos orgulho de dizer que não utilizamos Trado Manual nos nossos trabalhos, como pode ser visto no nosso site
Por muitas vezes nos deparamos com dificuldades comerciais justamente por conta disso, já que a maior demanda nos estudos ambientais é por essa modalidade de serviços de sondagem, provavelmente devido ao custo que seria menor. Já fizemos planilhas e mostramos para muitos clientes que muitas vezes esse custo menor é aparente, mas o "grande mercado" ainda é fã do Trado Manual, da mesma forma que, quando pensa em amostragem de água é o "esgota-e-coleta-com-bailer" que predomina.
Como a ECD está em constante atualização, andamos pesquisando sobre o mercado e as tecnologias de sondagens para construção civil: SPT, SPT-T, CPT, CPTU, DPL, DPSH, entre outros. O CPTu inclusive, já foi tema de posts aqui. Assim, nessa pesquisa, nos deparamos com 2 artigos muito interessantes, que fala justamente sobre a tendência no mercado das sondagens para construção, e essa tendência vai na linha que sempre pregamos aqui: a mecanização, a inovação e a preocupação com a qualidade.
O primeiro artigo está nesse link  que trata dos novos métodos de sondagem SPT, com menos esforço físico dos trabalhadores.
O segundo está nesse link , e fala sobre a produtividade, que é muito maior, o que acaba diminuindo o custo final da obra.


Pelo que temos observado, essa será uma tendência cada vez mais forte no Brasil. Nós da ECD, estamos preparados pra isso.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Qualidade na Investigação x Sucesso na Remediação

Temos continuamente discutido nesse espaço que a qualidade dos estudos ambientais está intimamente ligada à qualidade da investigação.
O que tem sido feito no Brasil está muito aquém do que seria realmente necessário ao se investigar uma área. Em breve escreveremos mais a respeito.

Gostaria, aqui, de colocar uma discussão muito interessante no Fórum Linkedin (para quem não sabe, uma rede social "profissional") onde a pergunta é: Onde as remediações falham? Como é um Fórum internacional, a maioria das respostas vem dos EUA.
Para quem está no linkedin, o link dessa discussão é: aqui
Para quem não está ou não participa desse grupo, essa é a resposta que julgo muito interessante para nós.É a palavra de um Consultor Senior da AEI Consutants, uma grande consultoria dos EUA, com 40 anos de experiência.
Ele diz, em sua resposta:
" Thoughts from a crusty old FIELD geologist.
Failure to have experienced knowledgeable personnel involved will kill any project. Reversal of flow direction is common in all sorts of environments … flood reversal adjacent to streams, tidally influenced areas (one site almost always had gradient away from bay due to the early morning timing of monitoring ), annual reversal due to de-watering along sunken freeways in wet season, and at construction sites. All these should be part of the knowledge base of any graduate going into the field; since it isn’t it should be part of initial training.
40 plus years of experience have taught me that most people who draw up conceptual site models before investigations, as do people who develop drilling prospects, tend to hold on to their belief in the correctness of their models long after the facts show otherwise. Give me someone who has a fluid model developed as data is collected. Better yet give me a person who though experience understands that a model is probably only good until the next data point or better yet who has a track record of 3 point conceptual models holding up after collection a dozen more data points. (Grifo meu)
Feasibility studies are great; they re-invent the wheel on a regular basis. They are no replacement for good experienced hand. They are great on big projects when someone with deep pocket is involved.
The biggest problem with remediation is having people who have ridden a swivel chair so long that they have forgotten the realities of the subsurface do the designing of projects and sending out kids who don’t have enough training or experience to recognize when the plan needs to be modified or scrapped. You need an experienced geologist /engineer whose boots are still muddy involved top to bottom.
Following that, using the latest trend new product when simpler cheaper products work just as well of better tops my list. "





Fico pensando: se ele sofre desse problema lá nos EUA, imagine aqui no Brasil. Ou seja, as remediações tendem a fracassar quase sempre, pois dificilmente vemos uma investigação que contemple uma quantidade e qualidade de dados adequada para se construir um modelo conceitual mais próximo da realidade.


Mas, e as remediações que obtiveram sucesso sem investigação adequada? Não tenho elementos para afirmar com certeza, mas poderíamos enumerar 3 motivos: 
- Avaliação mal feita: Pode ser que o site não tenha sido remediado, mas sim, a amostragem está tão falha que aponta erradamente para isso
- O site era simples e a "receita de bolo" ou decisão tomada com base em maus dados deu certo
- Sorte


Como pode-se perceber, esse problema não é exclusivo do Brasil, mas aqui, a pressão pelos custos e a cultura do "fazer de qualquer jeito" acaba imperando e dificultando as avaliações do órgão ambiental e causando danos à sociedade. O jeitão (3 poços à montante com 3 m de filtro não-afogado + Trado Manual + Esgota e coleta com Bailer) está com os dias contados, se formos levar a sério os trabalhos

sábado, 6 de agosto de 2011

ECD no Programa PIA - Investigação Detalhada e Plano de Intervenção

Atualização e Capacitação - ECD no Programa PIA

No 1o Semestre de 2011, a ECD Sondagens Ambientais, através de seu Diretor Técnico Marcos Tanaka Riyis, participou de dois importantes cursos que fizeram parte do Programa PIA.
O primeiro deles, refere-se a Investigação Detalhada e Plano de Intervenção em Postos de Abastecimento, realizado no mês de maio-2011. Foi um excelente curso, muito bem organizado e muito bem ministrado. O curso "pegou forte" no procedimento de Investigação Detalhada da CETESB, que foi devidamente esmiuçado pelo professores Abdalla e Augusto, e particularmente pelo Elton Gloeden. Muitos detalhes que passam despercebidos pelos relatórios das consultorias foram expostos, bem como os itens que, em geral, acabam faltando na maior parte dos estudos desse tipo. Mais detalhes aqui.
O fundamental do curso foi verificar, com dados mais precisos, que a Investigação é mais que essencial para o Gerenciamento de Áreas Contamiandas. Embora seja óbvio, na prática o que se tem visto é investigações pobres e remediações-pacote estabelecidas na base da tentativa e erro.



O leitor pode estar se perguntando: "o que a ECD tem a ver com isso? Ela não é consultoria!!!!!".
Basicamente pelos seguintes motivos:
- Nós estamos no ramo de áreas contaminadas. É nossa obrigação saber os detalhes do nosso serviço e quais as necessidades do nosso cliente: justamente as consultorias que trabalham com Investigação. Nós, da ECD, acreditamos que esse seja um diferencial importante da nossa empresa: a atualização constante e entender tecnicamente o trabalho da consultoria para oferecer a melhor solução.
- É fundamental saber como estão os trabalhos de investigação no Brasil, que é onde atuamos. A ECD tem acompanhado as novidades do mercado Europeu e Estadunidense, mas no Brasil não há muita informação online disponível sobre o atual estágio das investigações, e esses eventos são a melhor oportunidade para tomar esse contato.
- Verificar o que já ouvimos em muitos eventos: entender a área é a parte mais importante de todo o estudo. Não adianta e melhor tecnoligia e o mais revolucionário sistema de remediação se você não entende a área. Esse evento foi fundamental para isso: os professores mostraram que uma investigação, para atender as normas (observe que não estamos falando em excelência, somente em atender as exigências) precisa ser muito bem pensada, planejada, avaliada e revista nos seus detalhes. Percebemos que a ECD está no caminho certo: desenvolvendo ferramentas e equipamentos que permitam essa investigação com qualidade.
- Confirmar que não é possível fazer uma investigação adequada com equipamentos do século passado: girando Trado com a mão, amostrando água com "esgota-e-coleta", amostrando solo sem liner, fazendo "multiníveis-padrão", sem entender as camadas hidrogeológicas, e outros equívocos muito comuns nos trabalhos que vemos.
- Melhorar o nosso conhecimento sobre o tema. Isso ficará claro quando o sistema de créditos e/ou acreditação estiver institucionalizado. A ECD larga na frente e se diferencia de seus concorrentes nesse aspecto. 

Em resumo, foi um evento muito bom e muito proveitoso. Nesses quase 3 meses após a participação da ECD, pudemos melhorar nossos processos e oferecer novas soluções para as investigações detalhadas, em especial a Hollow Portátil, sobre a qual falaremos mais em breve.


quinta-feira, 26 de maio de 2011

Trado Oco (Hollow Stem Auger) na Sonda Portátil

Maio de 2011 foi o mês dos últimos ajustes na nossa Sonda Hidráulica Portátil!!!!
Os últimos testes, conduzidos pessoalmente pelo Sr Manoel Riyis Gomes, Diretor Geral e fundador da ECD, com mais de 35 anos de experiência em sondagens, foram bem sucedidos.
Em breve, teremos todos os detalhes, mas já dá para adiantar que esse equipamento consegue perfurar em solos argilosos a profundidades maiores que 20 metros com Trado Sólido (muito mais que o Trado Manual ou Mecanizado) com segurança e rapidez utilizando uma equipe de 2 pessoas, sem que elas tenham que utilizar força excessiva, realizar esforços exagerados, e reduzindo o risco de lesões ocupacionais. Comparado com Trado Manual, essa ferramenta é "covardia" nesse aspecto.
A novidade é que, em solos arenosos saturados, onde seria necessário revestimento para o Trado Manual ou Mecanizado (e todo o inconveniente que isso traz), A Sonda Portátil da ECD agora consegue perfurar com Trado Oco até 8,50 metros. Essa perfuração com Trado Oco permite a amostragem Direct Push concomitante e a instalação de poços de monitoramento multiníveis por dentro dos “Augers”. 
Isso é um ganho fantástico, especialmente para serviços em postos de abastecimento, que não dispõem de muito espaço para as sondas Hollow tradicionais e precisam de um equipamento que permita a instalação dos poços de monitoramento com coluna de água expressiva, como o poço profundo do par multinível, obrigatório nas investigações detalhadas e que têm sido feito de maneira, a nosso ver, equivocada e com baixa qualidade. Esse equipamento pode contribuir muito para esses casos.
Essa inovação foi fruto de uma ampla pesquisa, testes, projetos e desenvolvimento realizados pela ECD no decorrer de sua trajetória. 
Agora é só furar...


segunda-feira, 23 de maio de 2011

Nova Equipe de Sondagem

O mês de maio/2011 foi particularmente proveitoso para a ECD. 
Em vista da demanda alta e cada vez maior pelos serviços de sondagem, a ECD montou mais uma equipe, graças, principalmente, à volta de um Sondador que tinha saído da empresa no final do ano passado para tentar a sorte em outra profissão, mas que resolveu aceitar o nosso convite e retornar para a ECD (o “vírus”da sondagem é poderoso...).
Como todos sabem, adquirir veículos, ferramentas e equipamentos é relativamente fácil, o difícil é ter profissionais com a qualificação necessária para realizar um trabalho adequado. Felizmente a ECD conseguiu  conjuminar tudo isso a tempo de montar mais uma equipe para atender as suas consultorias parceiras, e tentar diminuir ao máximo a espera por equipes de sondagem.
O aumento de equipes não significa, de modo algum, queda no padrão de qualidade, pois o fortalecimento da estrutura e o acompanhamento de perto das equipes pela diretoria e, agora, pelo Engenheiro Rafael, aliado à contínua inovação das máquinas e ferramentas e à constante atualização fazem com que a qualidade dos serviços só aumentem.
Em suma, em 2011, já foram incluídas 2 equipes novas, e só estamos em maio. Com dissemos no início do ano, 2011 promete!!!!

Novo (velho) Colaborador da ECD

No mês de maio/2011, a ECD obteve uma importante aquisição: o Engenheiro Ambiental Rafael Muraro. Após ter sido Estagiário na própria ECD trabalhando basicamente com Amostragem de água pela metodologia Low Flow, ele foi para a Hidroplan, importante consultoria nacional, onde fez trabalhos de campo e relatórios das diversas etapas do Gerenciamento de Áreas Contaminadas. 
Agora, ele está de volta às origens.
A experiência nos trabalhos de campo da ECD certamente foi muito importante para o trabalho dele na Hidroplan e, agora, a experiência dele “do outro lado” será fundamental para o incremento da qualidade dos serviços da ECD.
Entre as funções dele nesse novo momento estão: coordenar os serviços de amostragem de água e ensaios hidrogeológicos; acompanhar as equipes de sondagem para verificar a qualidade dos serviços “in loco” e sanar qualquer necessidade e/ou dificuldade que essas equipes tenham; coordenar o sistema de saúde e segurança da ECD; auxiliar na elaboração e aplicação do treinamentos das equipes; gerenciar um contrato específico que a ECD tem com uma grande empresa.
Essas são as funções específicas, mas o essencial é vestir a camisa da ECD e contribuir para as novas diretrizes da empresa, que são: a melhora da qualidade  nos serviços e a busca pela excelência nos processos, e isso, com certeza, ele vai fazer. 
Seja Bem Vindo!!!!

domingo, 6 de março de 2011

E 2011 Começa com Tudo!!!!!!

O ano começou com uma série de mudanças na ECD.
A primeira delas é que alguns colaboradores deixaram a nossa empresa, enquanto outros entraram. A vida segue para quem sai e para quem fica, mas de uma coisa temos certeza: podemos dizer que os colaboradores que estão conosco realmente estão vestindo a camisa vermelha e azul da ECD e remando para o mesmo lado, trabalhando sempre a favor.
A outra novidade é que o novo organograma e as novas diretrizes da ECD permitem que ocorra um acompanhamento mais próximo da direção da empresa sobre as equipes, e esse feedback tem sido excelente!!!
Os treinamentos e orientações tem sido mais frequentes, bem como o diálogo entre a ECD e as consultorias parceiras, tanto com os coordenadores, gerentes e diretores quanto com o pessoal de campo dessas consultorias. Nesses diálogos, muitas idéias novas têm surgido.
As principais inovações propostas para 2011 têm caminhado bem: A Sonda Portátil, que está passando pelos testes finais, irá permitir que quase todo o trabalho que hoje é  feito com Trado Mecanizado seja feito com essa máquina exigindo muito menos esforço e obtendo muito mais qualidade nas instalações de poços de monitoramento. Além disso, estão sendo realizados testes para que ela consiga realizar sondagens com Trado Oco com pequenas profundidades. Para isso, foram desenhadas e construídas ferramentas inteiramente novas (inclusive Trados Ocos especiais) especificamente para esse fim.
As equipes de Trado e de Hollow ganharam mais ferramentas que permitem abranger um espectro maior de serviços e ganhar mais produtividade. Em breve falaremos sobre eles.
As realizações:  nesses 2 primeiros meses do ano conseguimos colocar a casa em ordem, realizar toda a manutenção necessária, adquirimos equipamentos e ferramentas, implementamos mudanças e upgrades nos equipamentos de sondagem, estabelecemos um programa de treinamento e avaliação com os colaboradores, e tivemos um bimestre muito movimentado, felizmente, o que equivale dizer que “trocamos o pneu com o carro andando”.
Os serviços: demos andamento a um contrato grande que fechamos no final de 2010, que absorve 1 equipe em tempo integral (às vezes mais). Além disso, a Hidroplan, parceira de longa data, também manteve pelo menos 1 equipe nossa ocupada em tempo integral. Durante esses 2 meses, outros parceiros, novos e antigos, também mantiveram as equipes de sondagem e amostragem ocupadas, para a nossa satisfação. Outro indicador importante é a quantidade de propostas que foram solicitadas para nós, muito superior aos anos anteriores no mesmo período.
Assim, temos a convicção que os serviços estão melhorando, em qualidade e quantidade, e que nossos objetivos para 2011 serão atingidos.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Feliz 2011!!!!!

2011 já chegou, e com ele, vêm junto as nossas famosas resoluções de ano novo.
No caso de uma empresa como a ECD, é o momento de fazer um balanço do ano que passou e enumerar o que nós queremos e o que nós esperamos para esse novo ano.
Como o balanço foi feito aqui, vamos, então, para o que esperamos de 2011:
- Que as parcerias que temos se consolidem cada vez mais
- Que novas parcerias se estabeleçam, em uma relação respeitosa e de ganhos mútuos
- Que os trabalhos de investigação ambiental tenham, no Brasil, cada vez mais qualidade
- Que todos os atores (sociedade, órgão ambiental, consultorias, setor produtivo) exijam trabalhos, produtos e serviços cada vez melhores e, aos poucos, deixem de lado os serviços de má qualidade ou socialmente injustos.
- Que as modificações que planejamos nos processos e nos equipamentos tenham o resultado esperado: maior produtividade com menos esforço físico dos trabalhadores

- Que o país continue crescendo e se desenvolvedo de maneira justa e sustentável
- Que continuemos com o "bom problema" de falta de mão-de-obra, pois isso é sinal de progresso do país
- Que os colaboradores que optaram por continuar conosco consigam usufruir da maior qualidade, eficiência e segurança nos processos de sondagem e amostragem que a ECD irá implementar em 2011
- Que os colaboradores da ECD que optaram por continuar aumentem sua capacidade cooperativa e ajudem todos a "remar para o mesmo lado", sem disputa interna de nenhum tipo
- Que a família ECD continue a crescer e a fazer o seu trabalho da maneira mais harmoniosa e respeitosa possível

Esse é o desejo da ECD para 2011. Feliz Ano Novo!!!!!!!